quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Hipnose é com Lars Kepler (Carla Cristina Ferreira)


Há um ano me deparei com um livro de capa chamativa, vermelha, com uma tesoura ensanguentada. Aquilo me chamou a atenção, mas ao mesmo tempo fiquei receosa por não ser muito fã de livros de suspense com assassinato e tudo mais. Isso é mais a cara da Rê.

Nossa avaliação 7.5
Quem vê a capa do livro pensa logo em um serial killer e em um grande derramamento de sangue, mas depois de ler a sinopse, resolvi dar uma chance para “O Hipnotista” de Lars Kepler (pseudônimo de Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril, um casal sueco que escreve em conjunto), publicado aqui pela Editora Intrínseca.   

A trama foca na investigação de um massacre a uma pacata família sueca que tem como sobrevivente e única testemunha o filho caçula. O detetive Joona Lima é o responsável por descobrir quem foi o louco que dilacerou suas vítimas com uma tesoura. Para isso, pedirá ajuda ao Dr. Erik Bark, renomado médico que utiliza a hipnose para tratar seus pacientes, para hipnotizar o jovem Josef Esk e assim ter uma ideia do paradeiro do assassino. O problema é que Bark jurou nunca mais hipnotizar alguém.

O livro tinha tudo para ganhar nota 8.0 com seus capítulos curtos e envolventes que nos instigam a querer saber quem é o assassino. Em uma viagem por mentes perturbadas e cheias de segredos nos deparamos com um momento de flashback e a coisa desanda; o ritmo cai,  perdendo um pouco a continuidade, mesmo sendo esse flashback essencial para o desenrolar da história.

Para manter a atenção do leitor, o autor abusa do uso de  turnning points: a história passa a ter tantas reviravoltas que chega uma hora que ficam um pouco previsíveis – apesar das pistas levarem a um suspeito, logo o descartamos, pois de ante mão já sabemos que aquele não é o nosso cara.

É um bom livro, com alguns erros, e com um tema que no fundo não acaba convencendo, pois ficamos esperando mais das sessões de hipnotismo. É claro que ninguém espera o velho clichê “você está ficando com sono; com muito sono”, mas ainda sim esperava mais. De qualquer forma vale pela distração da leitura.

“O Hipnotista” fez tanto sucesso na Suécia que já foi produzindo uma adaptação para as telinhas em 2012. Uma pena que ainda não veio para o Brasil, mas quem sabe a gente não encontra uma versão legendada em inglês ou português dando sopa por aí. J

Para quem gostou desse primeiro trabalho de Lars Kepler, saibam que já foi lançado em novembro passado “O Pesadelo” que traz mais uma vez o detetive Joona Lima e que muito em breve será resenhado por nós! Aguardem!



3 comentários:

  1. Ouvi dizer que vale a pena ler, quando vi o trecho que sita o filme até pulei na cadeira, pena que não chegou ao nosso território :(

    Rafa
    Blog Melody

    ResponderExcluir
  2. acabei de ler esse livro e adorei !! e a proposito só li depois de ler a resenha de vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ei Kelly, que bom que vc gostou do livro! Bjs!

      Excluir