sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Absolutamente genial (Renata Lima)


Sabe quando você está de saco cheio de ler um monte de livro igual e você PRECISA de alguma coisa completamente diferente para dar prosseguimento às suas leituras e quebrar um pouquinho o ciclo vicioso? Pois é, eu indico esse livro. Nada de mocinha chata ou mocinho gostosão, nada de romance meloso, nada de inúmeros conflitos familiares, só o bom e velho mundo cruel!

No início, eu fiquei meio reticente em pegar esse livro pra ler porque achei que ele fosse ser parecido com "Incarceron" e não só pelo nome (Incarceron e Encarcerados, vamos combinar que são quase iguais), mas pela premissa de serem dois livros distópicos passados em uma prisão. Mas me enganei redondamente! São livros muito diferentes. Diferentes DEMAIS! 

Nossa Avaliação - 100
"Encarcerados" traz a história de Alex, um garoto de 15 anos que há alguns anos se juntou a uma "gangue" na escola que pratica bullying e pequenos assaltos em casas da região onde mora. Até então a vida de Alex corria de forma "normal" e tranquila, mas uma noite ele e o amigo Toby resolvem assaltar uma casa acreditando que ela estivesse vazia. Para o azar dos dois, há homens de ternos pretos à espreita que capturam Alex e matam Toby, incriminando o adolescente.

Alex é agora mais um jovem criminoso sentenciado a passar o restante dos seus dias na Penitenciária de Furnace por um crime que não cometeu. Passará a viver com criminosos de alta periculosidade e meninos mais novos e desesperados do que ele no temido e famoso presídio que literalmente cresce para baixo, pois foi escavado sob uma enorme montanha. O lema da prisão é "Sob o Céu está o Inferno. Sob o Inferno, a Penitenciária de Furnace." Sentiu o drama?

Mas o mais assustador da prisão ainda está por vir, porque Furnace não é um presídio comum, é um lugar habitado por criaturas bizarras, como o Diretor que ninguém consegue encarar nos olhos, os ternos-pretos e os homens de máscara de gás (que ilustram a capa do livro). E é durante a noite que eles escolhem suas vítimas soltando cães enormes que parecem saídos do Inferno (alguém assiste à Supernatural aí?). Para que exatamente? Ninguém sabe, mas há rumores de experimentos científicos não autorizados.

Aos poucos Alex vai fazendo amizades (e inimizades também, claro!) e passando a se habituar ao dia a dia da prisão, mas ele não está disposto a ficar ali o resto de seus dias. Com a ajuda de alguns amigos, o companheiro de cela Donovan, um dos garotos que chegou junto com ele, Zê, o novato Toby, e com alguns nem tão amigos assim, Alex tenta descobrir desesperadamente uma rota de fuga antes que ele mesmo, ou algum de seus amigos, seja levado pelos ternos-pretos.

O livro deixa você tenso do início ao fim e como é escrito em primeira pessoa, dá para acompanhar essa transição de menino assustado acusado injustamente para um rapaz consciente de que a situação é aquela e ele precisa fazer alguma coisa porque não há quem faça por ele. A família o abandonou, a sociedade o condenou, ele não tem mais voz, ele é um proscrito, um marginal (no sentido de à margem mesmo, deixado de lado), ninguém mais se preocupa, ninguém quer saber o que acontece dentro dos muros da prisão. 

A história passa tão rápido que não cai na mesmice e o autor nos surpreende a cada capítulo. E é aí meus amigos que eu digo: não sei se foi um trabalho editorial muito bem feito ou se foi o fato de o livro ser realmente muito bom e sendo assim conseguiu tirar o foco da revisora aqui, mas não achei nenhum erro gritante de tradução ou revisão. Ponto para a Benvirá (selo da Editora Saraiva)!

O autor Alexander Gordon Smith e sua blusa de Furnace!
Só que a nota 10 não vai necessariamente para o livro em si, mas para o autor britânico Alexander Gordon Smith que tem quase a minha idade (34 anos), é formado em Literatura e de 2004 para cá já escreveu nove livros e um conto de ficção e dois livros de não-ficção sobre escrita criativa e como escrever para crianças. 

E por que eu dou nota 10 para o autor? Porque ele poderia ter sido tão prolixo quanto Stephen King* e fazer um livro de 600 páginas explorando todo o universo de Furnace, seus portões trancados e seu diretor bizarro só nesse livro, mas, em vez disso, ele preferiu ser conciso, direto e cru porque a prisão é assim. Não existe embromação, não existem cenas que durem mais do que o necessário, você não se sente enrolado pelo blablabla sem fim de uma descrição de ambiente. Tudo é o que é, e pela visão de um garoto de 15 anos de idade que pode não ser completamente inocente (como eu disse no começo, ele era sim um delinquente juvenil, projeto de bandido), mas que, depois de confrontado com aquela realidade, percebe que não merece estar ali.

Seria difícil categorizá-lo, mas eu chutaria uma mistura de suspense, terror (no melhor estilo Stephen King) e ação. Como eu falei acima, a série Fuga de Furnace tem cinco livros e um conto. No Brasil, a Benvirá já publicou os três primeiros livros e promete o quarto para meados do ano que vem. O conto infelizmente ainda não foi traduzido e não houve resposta da editora quando eu perguntei se eles disponibilizariam o conto para download a exemplo dos contos do Pittacus Lore disponibilizados ou vendidos pela Intrínseca.

Os cinco livros da série e por último o conto chamado de "The Night Children" ou "Fuga de Furnace 0.5 - Crianças da Noite". O número 0.5 é porque ele se passa (em tempo cronológico) antes do primeiro livro.
Por ordem de lançamento, o conto vem depois de "Solitária", o segundo livro da série.
* Eu adoro o Mestre Stephen King, mas que ele é prolixo não se discute. E nesse caso, eu nem digo "prolixo" no mau sentido porque King conseguiu fazer de sua prolixidade uma forma narrativa que (para mim) dá certo. "A Dança da Morte" que é meu livro preferido dele tem 944 páginas, "Sob a Redoma" tem 960! E mesmo assim não cansa! Mas esse tipo de narrativa daria certo com a série A Fuga de Furnace pela riqueza de elementos criados pelo autor, que mesmo assim resolveu deixar tudo mais enxuto, o que pra mim foi ótimo! Já estou lendo o segundo livro e logo volto com novidades sobre ele para vocês!

10 comentários:

  1. Que bom saber que o livro recebeu seu selo de aprovação!
    Como eu sempre falo, não gosto de séries, mas essa é uma que parece ser muito interessante e estou disposta a acompanhar. Vou só aguardar o lançamento de todos porque detesto ir lendo aos pouquinhos.
    E o que você disse sobre o King é verdade. Eu também adoro o estilo dele, mas tem horas que crueza e simplicidade têm um efeito melhor.
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né, Michelle? Eu concordo que muitas vezes o King acerta em cheio nessa prolixidade, mas algumas vezes eu acho que menos é mais!

      Beijocas

      Excluir
  2. Esse eu não vou arriscar pq vc disse que dá medinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não vai gostar, amiga... Mas Flavitcho vai! :D

      Excluir
  3. Quero ler esse livro... Gostei muito da resenha.

    ResponderExcluir
  4. Poxa , já tinha ficado interessada depois dessa resenha já vou dar um jeito de comprar
    . Ótima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena, Kelly! Acabei de terminar o segundo livro e vou engatar no terceiro!!!

      Excluir
  5. Eu adorei, a historia prende a atenção do inico ao fim, eu achei a historia muito bem desenvolvida e os personagens muito interesantes , me deu uma curiosidade pra saber o que vai rolar daqui em diante na serie... to doida pra comprar Solitaria, mas nao to achando nem em pdf, mas assim que der comprarei e devorarei avidamente. Super recomendo. Nota 10 sem duvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ÊEEEEEEEEEEEEEE que legal que vc gostou!!!

      Excluir