segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Surpresa em um mistério inglês (Carla Cristina Ferreira)


Definitivamente os sebos sempre trazem boas surpresas. Dessa vez a escolha foi tomada totalmente no escuro, levando apenas em conta que o livro em questão custa em torno de R$ 50,00 nas livrarias e nós, a Renata e eu, conseguimos por R$ 20,00. Falo do romance policial “Uma Certa Justiça”, de P. D. James. 
Nossa avaliação - 7.0
Esta pérola é publicada pela Companhia das Letras, na série de romances policiais com capa estilosa e laterais coloridas, realmente não é uma encadernação barata, mas francamente R$ 50,00 desanima qualquer um. 

Se você é fã do verdadeiro romance policial, você vai adorar esse mistério de 508 páginas. O começo parece um pouco arrastado até porque logo de cara a autora nos conta quem ainda será assassinada: Venetia Aldridge, uma renomada advogada criminalista. 

Venetia é uma mulher inteligente e arrogante que dedica sua vida à advocacia, colocando tudo e todos de lado, inclusive a própria filha. Seu brilhantismo é tanto que para ela a única coisa que importar é encontrar falhas nos argumentos e provas da promotoria para assim inocentar os seus clientes. Seu trabalho é tão impecável que ela consegue livrar a cara de Ashe, um jovem rapaz que é acusando de matar a própria tia, mesmo sabendo que ele é culpado. 

Os primeiros capítulos que contam a história de Ashe, Venetia e de outros personagens que possuem fortes motivos para se livrar da advogada. Desde o início, P. D. James já nos avisa que “os assassinos não costumam alertar suas vítimas”, mas eles sempre acabam deixando pistas, por mais perfeccionistas que sejam. A tarefa de desvendar esse curioso caso fica sob a responsabilidade do inspetor da Scotland Yard, Adam Dalgliesh e sua equipe. 

Apesar de não conseguir me localizar fisicamente no cenário descrito pela autora (nunca percorri as ruas de Londres), a riqueza de detalhes nos dá uma clara visão dos locais visitados, por mais simples ou inusitados que sejam. O mesmo acontece com os personagens: a descrição de cada um e suas personalidades é notável, nos proporcionando detalhes que a princípio parecem desnecessários para o desenvolvimento da trama, mas que posteriormente serão indispensáveis. 

Acho que o melhor de tudo é o final do livro, totalmente inesperado (talvez seja um pouco decepcionante para alguns), me lembrando um pouco do estilo de Agatha Christie. O título também só é esclarecido no final e acaba deixando um gostinho de quero mais, de conhecer mais o trabalho de James, que já escreveu 25 livros, todos aclamados e premiados pela crítica britânica e americana. 

Vale a pena desvendar esse mistério! 



4 comentários:

  1. Teve alguma coisa que vc não gostou, Carlinha? A nota é de um livro bom, né? O que ficou faltando pra ser um livro ótimo?

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho q só não dei uma nota maior pq a história demora um pouco a engrenar, perdendo-se algum tempo destrinchando os personagens, alguns nem tão importantes para o desenrolar da história. Se não fosse por isso daria nota 8. No geral, leria outros livros dela numa boa.

      Excluir
  2. Acho que algum dia posso me aventurar a lê-lo. A história parece interessante e se você gostou, não tenho o que falar.
    Não esquece de mim na próxima visita ao sebo.

    Bjnhs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podexá Nine, na próxima vc vai com a gente hehehe

      Excluir