sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Quando a chatice de uma personagem acaba com o livro (Renata Lima)



Nossa Avaliação - 5.0
"Lua Azul" é o segundo volume da série Os Imortais. Para quem não lembra, o primeiro se chama "Para Sempre" e a resenha está aqui

Continuamos seguindo a mala da Ever e agora com um agravante: ela finalmente descobriu que ser salva do acidente em que seus pais, sua irmã e seu labrador morreram tornou-a uma imortal. Agora Ever tem que aprender a controlar seus poderes e precisa  mais do que nunca da ajuda do sempre solícito, amável, gostoso, lindo, salve-salve Damen.

O resumo do livro diz que Damen é "acometido por uma doença misteriosa que ameaça, inclusive, sua memória e ele não percebe que seus poderes se estão esvaindo – enquanto Ever se sente cada vez mais forte. Desesperada para salvá-lo, ela viaja até a dimensão mística de Summerland, onde não apenas toma conhecimento da misteriosa história de Damen, brutal e torturante, mas também tem acesso aos segredos que regem o Tempo."

A impressão que temos depois da leitura é que se trata de um resumo melhorado que não retrata o livro que acabamos de ler, mas o que se esperava dele. Me surpreende horrores o livro ter 29% de 5 estrelas no Skoob, porque parece que eu perdi alguma coisa, sabe?

Vamos combinar uma coisa: todo mundo gosta de uma personagem insegura, imperfeita, desastrada, porque nós mulheres somos assim, mas Ever é o cúmulo do absurdo. A insegurança dela nos chateia, o fato de nada estar bom para ela nos deixa impotentes. Depois da descoberta da imortalidade, imaginei que ela fosse ficar mais confiante, mais agressiva, mas não; Ever é a mesma de sempre, com alguns poderes, o que a torna pior do que a Bella do Crepúsculo e assim ela ganha o prêmio de personagem mais chata do universo.

Existe um certo suspense que é a única coisa que torna o livro um pouco interessante, além do Damen, claro, mas esse suspense vai cansando ao longo do livro e quando você por fim descobre do que se trata dá vontade de fechar o livro e jogá-lo pela janela. Abandono ou não a série toda? Eis a questão.

E nem vou comentar sobre os "amigos" da Ever, porque eles são supérfluos nesse livro, assim como no primeiro!

Mas como a autora é bem esperta, ela já engatou na série Riley Bloom, a irmã da Ever, que é uma personagem muito mais interessante, apesar de estar na aborrrecência!

PS: Essa história de mistificar o sexo já deu, né? Os dois são imortais, então transem logo peloamordedeus!

8 comentários:

  1. kkkkkkkkk

    li esse livro e o odiei, primeiro, esse lance de imortais é meio superficial - eles tomam um elixir e viram imortais, sério? quanta criatividade

    depois, o fato da estoria ser narrada pela Ever deixa tudo mais pior, a guria é uma mala sem alça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, K a a h!

      acho que se fosse um narrador seria beeeem mais interessante.

      Excluir
  2. Caramba. Acho que nem vou tentar ler esse.

    ResponderExcluir
  3. Só uma dica, pare de ler o livro, serio. Ele é um tédio. Se você não gostou do primeiro e do segundo, quando chegar perto do quarto, você realmente vai surtar. Eu tenho Infinito, sexto livro da serie, acho que desde o começo do ano, e simplesmente não consigo ler! Se você acha que é só enrolação esses, você vai realmente querer se enforcar por causa da Ever. Além de ser super chata e insegura, ela tem a ótima mania de fazer tudo errado e sempre estragar as coisas no final do livro, quando você acha que eles finalmente vão poder ficar juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita! Valeu, Milena, vou desistir de vez então!!!

      Excluir
  4. Confesso que não sei como a Renata conseguir encarrar o segundo livro, depois de ter confirmado que o primeiro era um saco... Muito corajosa, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do mesmo jeito que vc encara P.C. Cast e a filha dela, amiga. Queria saber o que vinha depois, se haveria explicações sobre a imortalidade dela. Mas olha, já desisti, viu?

      Excluir