quarta-feira, 24 de julho de 2013

Pressionando os limites (Aline Basilio)


Nossa Avaliação - 8.5
Em "No Limite da Atração", vivenciamos uma história contada por dois personagens principais intercaladamente. Cada um deles relata sua parte da história, sua vida e o seu ponto de vista sobre cada fato ocorrido.

Echo Emerson, uma adolescente de 17 anos, que vive com o pai e a madrasta, perdeu seu irmão mais velho e sofre com a ausência da mãe biológica. Possui acompanhamento psicológico para se recuperar da morte de seu irmão e de um trauma que está “escondido” em sua memória.

Noah Hutchins, típico bad boy, órfão, possui dois irmãos mais novos que foram adotados por outra família. Não consegue se relacionar direito com sua família adotiva, e tem comportamento violento. Ele tem direito a visitas assistidas aos irmãos e possui acompanhamento psicológico devido à sua conduta agressiva.

A orientadora escolar, Sra. Collins, é quem acompanha os adolescentes. Para ajudá-los, ela sugere que Echo seja monitora e, com a intenção de juntar dinheiro para consertar o carro de seu irmão, ela aceita. A orientadora sugere também que Noah seja monitorado a fim de melhorar suas notas escolares e assim conseguir a guarda de seus irmãos.

Confesso que quando comecei a ler o livro, achei que seria uma história de romance entre adolescentes. De fato, há romance entre eles, mas não é o principal. A história de vida de cada personagem é o que torna os relatos intensos. Além de possuir um pouco de mistério em torno de como as cicatrizes de Echo apareceram.

“(...) O pior tipo de choro não era o que todo mundo podia ver – os gemidos, as roupas rasgadas. Não, o pior tipo acontecia quando sua alma chorava e, não importava o que você fizesse, não havia consolo. Algo murchava e se tornava uma cicatriz na parte da alma que sobrevivia. Para pessoas como a Echo e eu, a alma tinha mais cicatrizes do que vida.” (página 257)

O romance entre Echo e Noah é muito bem desenvolvido ao longo da narrativa. Foi me cativando aos poucos e eu torcia pelo crescimento do casal. Embora o romance tenha começado apenas com a atração física (típico de adolescentes), a relação foi se fortalecendo à medida que ambos relatavam sua vida, suas experiências e seus desejos.

Katie McGarry nos mostra como o verdadeiro amor nos leva a fazer escolhas que não faríamos racionalmente. Amar é querer a felicidade do outro. É isso que esse livro nos mostra. Até que ponto devemos abrir mão de nossa felicidade para fazer o outro feliz.

Quanto à capa do livro... É linda, mas não resume em nada a história. Se julgarmos apenas pela capa, não passaria de mais um livro de romance. E o livro é muito mais que isso. Uma história muito intensa de cada personagem em busca de crescimento pessoal. Mais um livro que leio que promove uma lição de vida.

Descobri que a autora escreveu mais três livros para a série. São histórias dos personagens secundários apresentados no primeiro livro “No Limite da Atração”, são eles: Beth, Isaiah (ambos amigos de Noah) e Lila (melhor amiga de Echo). Os títulos originais são: “Dare You”, “Crash Into You” e “Crossing The Line” e ainda não foram lançados e nem têm previsão de lançamento no Brasil.



4 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, Sheila! O livro é muito legal mesmo.

      Excluir
  2. Vou dar uma chance pra ele mais pro final do ano!!! Tudo por causa da sua resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá uma chance sim, Rê. Achei que seria mais um da leva 50 Tons, mas não tem nada a ver. Me surpreendeu mesmo.
      Bjnhs

      Excluir